História e avanços da máscara de solda | Gerdau com Você

História da máscara de solda

Acesse e descubra a origem da máscara de solda e os avanços tecnológicos que esse EPI sofreu durante os anos para protegê-lo cada vez mais. Leia!

Gerdau

Publicado em: 01-11-2023

A máscara de solda é uma velha conhecida de quem trabalha com aço. Com ela, ganhamos a proteção e a segurança necessárias para fazer os mais variados tipos de soldagem. Afinal, só a luz gerada pelo equipamento já é capaz de provocar queimadura nas retinas.

 

Isso acontece porque alguns processos de soldagem geram um excesso de raios ultravioleta e infravermelho. Embora não possam ser vistos, eles são capazes de causar grandes danos aos olhos. Por isso, filtros extremamente escuros são necessários não só para proteção, mas também para permitir que o soldador possa ver o que está soldando.

 

Ao longo do tempo, muitos equipamentos de proteção foram desenvolvidos para evitar este tipo de problema. 

 

Origem da máscara de solda 

A máscara de solda é um equipamento de proteção essencial para os soldadores, oferecendo segurança contra os intensos raios de luz emitidos durante o processo de soldagem. A história da máscara de solda remonta ao desenvolvimento da soldagem como uma técnica industrial.

 

Como prática, a soldagem remonta à Idade do Bronze, mas o processo evoluiu significativamente ao longo do tempo. Inicialmente, os soldadores não tinham uma proteção adequada para os olhos contra a intensidade da luz gerada durante a soldagem. Isso levou a problemas de visão e outros danos oculares.

 

A máscara de solda inicialmente consistia em lentes de vidro escuro ou óculos escuros para proteger os olhos dos soldadores. À medida que a tecnologia avançava, foram introduzidos filtros mais avançados nas máscaras de solda para oferecer maior controle sobre a quantidade de luz que atinge os olhos. As lentes escureciam automaticamente quando detectavam o início do arco de soldagem.

 

A máscara de solda moderna tem suas raízes no século XIX. Porém, foi só em 1937 que a máscara de solda como conhecemos hoje chegou ao mercado. Um avanço significativo ocorreu quando o processo de soldagem elétrica foi desenvolvido no final do século XIX e início do século XX. Como a soldagem elétrica gera uma luz muito mais intensa do que os métodos anteriores, tornou-se crucial desenvolver proteção ocular adequada.

 

O modelo era fabricado pela Wilson Products, uma empresa americana especializada em equipamentos industriais que existe até hoje. A máscara de solda era feita de fibra vulcanizada e tinha um formato para proporcionar proteção para todo o rosto e orelhas. Além disso, não possuía rebites ou emendas, proporcionando mais segurança e conforto ao usuário. Outra vantagem era o formato arredondado, que garantia melhor circulação de ar, evitando o aquecimento excessivo.   

 

Naquela época, as lentes ainda não possuíam a tecnologia de autoescurecimento. Assim, o soldador deveria levantar e abaixar a máscara sempre. Além de perder tempo, esse processo ainda poderia expor o profissional aos raios emitidos por outras pessoas trabalhando ao seu redor.

 

O avanço mais significativo ocorreu com o desenvolvimento das máscaras de solda com escurecimento automático, que utilizam tecnologia eletrônica para escurecer a lente instantaneamente quando a luz do arco é detectada. Essas máscaras oferecem conveniência e segurança aprimorada para os soldadores.

 

Em 1980, um fabricante suíço chamado Hornell lançou um produto que revolucionou o mercado. Chamado Speedglas, essa foi a primeira máscara de solda a contar com a tecnologia de autoescurecimento. Nela, um sensor eletrônico detectava a presença da luz, escurecendo assim um filtro feito de LCD.

 

Hoje, a tecnologia das máscaras de solda está pronta para dar um passo adiante. Um dos exemplos está sendo desenvolvido pela Universidade de Toronto. Com este novo equipamento, capaz de capturar com câmeras especiais todo o processo de soldagem, a visualização do trabalho atinge um nível que o olho humano jamais poderia atingir. Além disso, ela permite que tudo seja filmado. Assim, quem está aprendendo a soldar pode ver filmes dos mais experientes trabalhando, aumentando a velocidade de aprendizado.

 

As máscaras de solda são essenciais em várias indústrias, proporcionando não apenas proteção contra a luz intensa, mas também conforto e praticidade para os profissionais que realizam trabalhos de soldagem. Agora, seja sua máscara simples ou de autoescurecimento, o importante mesmo é nunca deixar de usá-la. Com ela e com os outros EPI’s, você não coloca a sua saúde em risco. 

 

O avanço tecnológico das máscaras de solda

A tecnologia das máscaras de solda avançou consideravelmente desde seus primórdios até hoje. Alguns dos avanços mais significativos incluem:

  1. Mudança de materiais:

    - Lentes: No início, as lentes das máscaras de solda eram feitas principalmente de vidro escuro. Com o tempo, os materiais avançaram para incluir plásticos de alta resistência, policarbonato e outros materiais leves e duráveis.

     

  2. Filtros e proteção automática:

    - Filtros automáticos: Nas primeiras máscaras, os soldadores tinham que levantar a máscara manualmente antes de iniciar o arco de soldagem. As máscaras modernas geralmente possuem sensores que detectam a luz do arco e ajustam automaticamente a escuridão da lente em tempo real. Isso proporciona maior comodidade e segurança ao soldador.

     

  3. Tecnologia eletrônica:

    - Escurecimento eletrônico: O advento do escurecimento eletrônico permitiu que as máscaras de solda se tornassem mais sofisticadas. Os sensores eletrônicos respondem instantaneamente às mudanças na intensidade da luz, garantindo uma transição suave de uma lente clara para uma lente escura durante a soldagem.

     

  4. Design ergonômico:

    - Peso e conforto: Avanços na engenharia de materiais resultaram em máscaras de solda mais leves e confortáveis. Isso reduz a fadiga do usuário durante longos períodos de soldagem.

     

  5. Alimentação energética:

    - Baterias e energia solar: Máscaras modernas muitas vezes são alimentadas por baterias recarregáveis ou células solares integradas. Isso elimina a necessidade de substituir frequentemente as baterias e contribui para uma operação mais sustentável.

     

  6. Sistemas de ventilação:

    - Ventilação integrada: Algumas máscaras de solda avançadas possuem sistemas de ventilação integrados para melhorar o fluxo de ar, reduzindo o acúmulo de calor e proporcionando maior conforto ao usuário.

     

  7. Conectividade e tecnologia inteligente:

    - Integração com dispositivos: Algumas máscaras de solda agora vêm com recursos de conectividade, permitindo que os soldadores se conectem a dispositivos móveis ou outros equipamentos para acessar informações relevantes, como instruções de trabalho ou tutoriais.

 

Esses avanços tornaram as máscaras de solda mais eficientes, seguras e confortáveis para os soldadores, contribuindo para um ambiente de trabalho mais produtivo e seguro.

Matérias relacionadas